O que está acontecendo com o Brasil?


0

O empresário Luiz Fernando Oderich, idealizador da ONG Brasil sem Grades, alerta para a situação da impunidade no país e registra sua preocupação com a onda de crimes entre pessoas da própria família.

 

Miséria, fome e desemprego são algumas associações feitas em casos de violência no Brasil. Os problemas sociais sempre foram e continuam sendo a alça que segura a bagagem pesada dos crimes brasileiros. Mas é fundamental que a visão racional nos permita entender que nem todos os tipos de criminalidade derivam de condição econômica. A impunidade, por exemplo, não é uma consequência e sim uma causa relevante, segundo o presidente da ONG Brasil Sem Grades, Luiz Fernando Oderich. “Vivemos em um país que não pune severamente e isso impulsiona os criminosos a cometerem os absurdos que vemos”, diz. O Estado, ineficiente e sem programas de políticas públicas de segurança, deixa o brasileiro inseguro e o faz vítima de sua própria liberdade.

Os lados da violência são muitos e nos últimos meses temos nos surpreendido com os crimes em família. O ponto alto se deu quando um adolescente da capital paulista foi apontado como o culpado pela morte de quatro pessoas da própria família, se suicidando em seguida. “Esse tipo de crime sempre choca mais, pois acontece entre pessoas que deveriam se proteger”, revela.

Para Oderich, que perdeu um filho vítima de assalto e convive até hoje com a impunidade, os crimes em família devem provocar uma série de questionamentos. “O que leva alguém a tirar a vida das pessoas que, supostamente, ama e convive? De que forma estamos reagindo a esses fatos e como podemos modificar isso?”, instiga. As respostas, segundo ele, devem surgir após o debate aberto de questões como o relacionamento entre as famílias e os vínculos que estão se formando atualmente. “Um pai que mata o filho certamente apresenta ou apresentou desvios de conduta. Uma filha que assassina os pais enquanto dormem não deve ter sido uma criança e uma adolescente normais. As condutas precisam ser analisadas constantemente. Temos que parar com essa história de que certos fatos nunca acontecerão conosco”, revela.

Para a psicóloga Fátima Piovesan, voluntária na ONG de Oderich, durante o desenvolvimento de um indivíduo poderão ocorrer situações difíceis como negligência e abandono afetivo, predispondo-o a desenvolver patologias emocionais. “Os conflitos são comuns nos relacionamentos entre as pessoas. Casais, pais, filhos, amigos e colegas possuem divergências, têm ideias e valores que muitas vezes causam atritos, necessitando que as pessoas desenvolvam condições de resolverem as diferenças de maneira adequada”, indica. Para prevenir as atitudes violentas e os desvios de conduta entre crianças e adolescentes é muito importante pais afetivos e presentes. “Os pais precisam ter claras noções de limites e regras que precisam nortear a vida de um filho”, revela.

O quebra-cabeça, segundo a especialista, está nos primeiros anos de vida. “Sabemos como alguns desses crimes poderiam ser evitados. É preciso cuidar da infância e a maneira mais simples e mais eficaz de prevenir as doenças mentais e aos transtornos de conduta está no cuidar afetivamente e responsavelmente das nossas crianças”, conclui. 

A mudança precisa partir dos brasileiros, como pede Oderich. “Famílias matando seus próprios integrantes, bandidos cometem crimes graves e não são presos, criminosos condenados vivem em liberdade e as pessoas continuam de braços cruzados”, desabafa. Aliás, esse é o tema da campanha da ONG, “Chega de braços cruzados” que pede a revisão da legislação penal com urgência. “A lei como está, infelizmente, protege os bandidos ao invés do cidadão do bem. O projeto de revisão da legislação penal aguarda na fila do Congresso para ser votado enquanto a pauta gira em torno da Copa do Mundo e do salário dos políticos”, diz.

Lutando contra a impunidade desde 2002, o Brasil sem Grades é fruto de uma perda dolorosa para o empresário, que teve seu único filho, Max, assassinado durante um assalto na cidade de Porto Alegre. A organização não governamental, sem fins lucrativos, tem como missão despertar a consciência da população brasileira através do desenvolvimento social e de ações voltadas para o combate às causas da criminalidade.

 

Sobre a ONG Brasil Sem Grades

A ONG Brasil Sem Grades foi fundada em 2002 pelo empresário Luiz Fernando Oderich, após ter seu filho assassinado em um assalto, em Porto Alegre. A entidade atua com três grandes focos determinantes para evitar que crianças e jovens entrem na delinquência: o planejamento familiar, a paternidade responsável e a segurança e criminalidade, com a revisão do Código Penal brasileiro.

 

Informações para a imprensa:

Coordenação Geral: Reinaldo Fontes – reinaldo@enfato.com.br – +55 (51)

8478.0296

Coordenação: Juliana Farias – Juliana.farias@enfato.com.br – +55 (51) 8118.1502

Direção: Mariana Turkenicz – mariana@enfato.com.br – +55 (51) 8121.7062

 

Enfato multicomunicação

+55 (51) 30.261.261

www.enfato.com.br

Twitter: @enfato

Facebook: Enfatomulticomunicação

Empresa filiada à Abracom


Gostou? Compartilhe!

0
Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens