Compulsão por arrancar os fios de cabelo é doença


O nome pode até soar diferente, mas a tricotilomania é mais comum do que se pensa. Trata-se de uma doença na qual as pessoas arrancam os fios de cabelo ou pelos do corpo, como cílios e sobrancelhas.
A psicóloga e diretora terapêutica da Clínica Terapêutica Viva, Ana Laura Parlato, explica que a tricotilomania é um transtorno do controle do impulso. “A pessoa sente necessidade de puxar os próprios cabelos por prazer, gratificação ou alívio de tensão, acarretando uma perda capilar perceptível”.
Mais do que calvície ou falhas no couro cabeludo, a tricotilomania pode causar sofrimento pessoal, prejuízos na vida social, profissional e em outras áreas importantes da vida. “Na maioria dos casos, a pessoa não arranca os fios na presença dos outros, exceto na companhia dos membros família. Por isso, é comum o paciente evitar situações sociais para não se expor, pois sente vergonha do comportamento e quer esconder o problema dos amigos”, relata Ana Laura.
A tricotilomania pode aparecer tanto em crianças, quanto jovens e adultos. Segundo a psicóloga, a idade média do início do distúrbio varia entre 9 e 13 anos. Não é comum aparecer em crianças menores. Mesmo que elas puxem o cabelo, não costuma ser tricotilomania. “É fundamental que pais e educadores estejam atentos para saber diferenciar um simples arrancar os fios de cabelo na primeira infância e a tricotilomania, que costuma ter início mais tarde e evoluir de maneira crônica e grave, transformando o ato em sofrimento e impactar a vida de modo negativo”, alerta Ana Laura.
Já em adultos, a tricotilomania pode estar associada a outras doenças, como depressão, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e transtorno de ansiedade.
No entanto, a tricotilomania tem tratamento. Através da terapia cognitivo-comportamental, a pessoa cria ferramentas para lidar com os impulsos de arrancar os fios. De acordo com a especialista Ana Laura, os sintomas podem diminuir ou até cessar.
Sobre a Clínica Viva
A Clínica Terapêutica Viva é especializada no tratamento da dependência química, alcoolismo, tabagismo e outros transtornos do espectro obsessivo compulsivo. A Clínica conta com profissionais da área de saúde altamente capacitados e compromissados com a otimização de resultados dos serviços oferecidos. Conheça mais a Clínica Viva acessando o site http://ctviva.com.br.

Talvez você também goste

Mais Sobre: Comportamento

Não Perca

Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens