Ação de mercado do Selo Alimentos projeta R$ 1,1 milhão em negócios para pequenas empresas

Rodada de negócios reuniu fornecedores de micro e pequenas empresas paranaenses com compradores da região


0

Empresários fabricantes ou distribuidores de alimentos e bebidas com chancela de qualidade e genuinamente paranaenses tiveram oportunidade de estarem frente a frente com empresas compradoras desses produtos no oeste do Paraná. A ação de mercado, que aconteceu no Sebrae/PR de Cascavel, no último dia 13, faz parte da programação especial para empresas reconhecidas com o Selo Alimentos do Paraná, iniciativa do Sebrae/PR, Fecomércio PR, Fiep, Associação Paranaense de Supermercados (Apras) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

Segundo a coordenadora estadual de Agronegócio do Sebrae/PR, Andréia Claudino, a ideia é fechar o ano com nove ações de mercado para as empresas paranaenses. “No primeiro semestre, proporcionamos às empresas com o Selo Alimentos do Paraná a participação em grandes feiras, como a Mercosuper, NaturalTech e Fispal Food Service, com exposição e rodada de negócios. Neste segundo semestre, propusemos rodadas regionais como esta que aconteceu em Cascavel e reuniu empresas de vários municípios do oeste. Neste mesmo formato, acontecerá uma rodada em Curitiba e Maringá, nos dias 4 e 18 de outubro respectivamente”, aponta.

Empresas que participam das ações de mercado promovidas pelo Programa Selo Alimentos do Paraná, complementa Andréia, aumentam a competitividade dos negócios. “Fizemos uma pesquisa, no início deste ano, que apontou que as empresas participantes ampliaram, em média, 8% a carteira de clientes e tiveram um aumento médio de 7% no faturamento. Se analisarmos o cenário, de queda em muitos segmentos comerciais, os números são bastante significativos e reforçam que ações como estas realmente convertem em negócios e geram resultados positivos as empresas”, argumenta.

Na rodada de negócios em Cascavel, participantes indicaram mais de R$ 1,1 milhão em projeção de negócios para os próximos meses, a partir da interação entre fornecedores e compradores no evento.

O consultor do Sebrae/PR, Emerson Durso, explica que a rodada de negócio possibilita a interação entre compradores e fornecedores em um mesmo local. “Ambos ganham em tempo, pois não precisam se deslocar até cada uma das empresas para fomentar negociações. Além disso, os compradores, por exemplo, também têm a vantagem de conhecer produtos reconhecidos com o Selo Alimentos do Paraná, que chancela eficiência da gestão, segurança e qualidade alimentar de produtos. Já os produtores, por sua vez, mantêm contato com compradores já interessados nos produtos”, destaca.

O empresário Miguel Adur, de Cascavel, foi um dos 19 representantes de empresas chamadas “fornecedoras” de alimentos e bebidas seladas que expuserem seus produtos a 38 empresas chamadas “compradoras”. “Fiz ótimos contatos nesta rodada, assim como em outras que já participei desde que obtive o Selo Alimentos do Paraná. O mais interessante é que, além de conseguirmos falar sobre nosso produto cara a cara com o comprador, sem o intermédio de um representante, esses clientes já vêm intencionados a conhecer o que você vende”, observa.

Os irmãos, Iago e Rebeca Favoretto Zardinello, viajaram cerca de 100 quilômetros, de São Miguel do Iguaçu a Cascavel, com o intuito de conhecer o funcionamento das rodadas e acabaram fechando negócio. Além de uma empresa compradora, uma venda de produtos artesanais, eles administram um pequeno laticínio que está no início dos processos para a obtenção do Selo Alimentos do Paraná. “Nossa expectativa é estar também ‘do outro lado’, oportunizando mercado para os queijos produzidos pela família já no ano que vem”, preveem.

Entretanto, relata Rebeca, enquanto “compradores” nesta rodada, já fecharam negócio com uma indústria de pimentas e molhos especiais de Joaquim Távora, município a mais de 600 quilômetros da cidade em que moram. “Não fosse pelo evento, não conheceríamos esses produtos”, salienta Iago que, no espaço de degustação, provou os molhos especiais e teve a ideia de fazer negócio com o fornecedor. “Gostamos muito do formato da rodada, uma excelente iniciativa. Ano que vem, estaremos aqui novamente, tanto no papel de compradores quanto como fornecedores”, acredita Rebeca.

Leopoldo Furlan, que representou a Fecomércio PR no evento, enfatiza que, unidas a um propósito maior, as empresas de pequeno porte têm mais chances de crescer. “Junto a instituições como a Fecomércio PR, os empresários multiplicam forças, uma vez que cada entidade traz sua ‘bagagem’ de conhecimento e ações para dentro das empresas integrantes de programas como o Selo Alimentos do Paraná. Esse apoio é um alicerce e suporte para melhorarem a competitividade e quem mais ganha com isso é o consumidor, que terá mais opções de qualidade no mercado”, contextualiza.

Na avaliação do presidente regional da Apras, no oeste do Paraná, Rudimar Erbert, iniciativas como estas encorajam os empresários a melhorar seus produtos e, por outro lado, incentiva a entrada de novos produtos de qualidade ao mercado. “Não é fácil estar nas gôndolas das lojas. Assim, toda ação que incentive mercado deve ser aproveitada pelos pequenos negócios. Saber que os produtos expostos na rodada são reconhecidos com o Selo Alimentos do Paraná já traz uma vantagem. Além disso, o investimento para participar de um evento regional é menor, mais acessível”, comenta.

Antônio Demenech, proprietário de um mercado da região norte de Cascavel, já participou de outras rodadas de negócios como a que aconteceu em Cascavel na última semana. “Também estive presente na última rodada e saí com novo fornecedor de pipocas fabricadas em Marialva (no noroeste do Estado). A parceria deu tão certo que continuo vendendo produtos deles até hoje. Nesta edição da rodada, minha intenção é provar e identificar novos negócios”, indica.

Para participar como empresa expositora (fornecedor) nas rodadas de negócios é preciso estar “em dia” com a chancela do Selo. “Com validade de 12 meses, a metodologia para a obtenção do Selo segue as normas sanitárias vigentes e o MEG (Modelo de Excelência da Gestão), da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). Quem valida e atesta as conformidades é o Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná). Atualmente, temos 120 empresas paraenses seladas e mais de 250 em processo de obtenção da chancela”, assinala Andréia Claudino.

Vem crescer com o Sebrae

O Sebrae/PR é o parceiro certo para micro e pequenas que desejam crescer e estar sempre um passo à frente. Com mais de 45 anos de atuação, a entidade trabalha para fomentar o empreendedorismo, promover a competitividade, a inovação e disseminar conhecimento sobre gestão. Com o Sebrae/PR, as MPEs podem se diferenciar no mercado. Deseja ampliar os negócios ou pretende iniciar um, comece em www.sebraepr.com.br/umpassoafrente


Gostou? Compartilhe!

0
Juliana Dotto

Compartilhar Conteúdo
Release / Artigo
Texto com Imagens
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Vine
Áudio
Soundcloud ou Mixcloud
Imagem
Fotos e Imagens